Relevo e aderência


areia, cimento e tijolos
aprox. 12m

Parede chapiscada e relevo/mureta. Trabalho realizado com o mestre de obras Manuel da Silva no MAM-SP. Exposição P33: Formas únicas da continuidade no espaço - Panorama da arte brasileira. Mam—SP.

Relief and Adherence
sand, cement and bricks
width: 12m
Roughcast cement and short wall. Work developed with foreman Manuel da Silva at Mam-SP. Exhibition P33: Formas únicas da continuidade no espaço - Panorama da arte brasileira. Mam—SP.
Texto do Catálogo

Vitor Cesar propõe uma intervenção site-specific no MAM São Paulo, com o intuito de desmontar a lógica do espaço supostamente “neutro”. Para contrapor-se ao aclamado paradigma moderno, faz uma homenagem indireta à arquitetura vernacular e brutalista de Lina Bo Bardi e à textura áspera das edificações do arquiteto mexicano Luis Barragán, prêmio Pritzker de 1980.

Com a colaboração e a experiência do pedreiro Manoel da Silva, Vitor Cesar aprendeu como preparar uma parede para a galeria do museu. Sobre os tijolos com os quais foi construída, além de uma argamassa de cimento e areia, essa superfície deveria receber massa corrida e, finalmente, a tinta. Ao suprimir as etapas de acabamento, o artista quer dar visibilidade ao trabalho da mão de obra que sempre fica oculta. Com o chapisco em primeiro plano, põe em evidência o fazer manual de uma categoria social geralmente desprestigiada no canteiro de obras por arquitetos e engenheiros. Um banco ao longo da parede reforça a existência de uma obra que reivindica um sentido funcional. Elemento indissociável do display expositivo, a parede de chapisco se funde na arquitetura do museu.

Catalogue Text

Vitor Cesar has proposed a site-specific intervention at MAM São Paulo, aimed at dismantling the logic of the supposedly “neutral” space. Running counter to the acclaimed modern paradigm, he has made an indirect homage to Lina Bo Bardi’s vernacular and brutalist architecture and to the rough texture of the buildings of 1980 Pritzker Prize-winning Mexican architect Luis Barragán.

With the collaboration and experience of mason Manoel da Silva, Vitor Cesar learned how to prepare a wall for the museum’s gallery. The bricks the wall is made of are normally covered by a layer of roughcast cement, followed by plaster and finally paint. By suppressing the finishing steps, the artist aims to lend visibility to the manual work that is normally concealed. By means of the exposed roughcast, he sheds light on the manual work of laborers who are generally relegated to a low social status on the worksite by architects and engineers. A bench along the wall reinforces the existence of a work that lays claim to a functional meaning. An indissociable element of the exhibition display, the wall of roughcast is fused with the museum’s architecture.