Descrito como real


Em colaboração com Enrico Rocha



Recursos públicos financiam paisagens digitais que se distribuem massivamente em diversos canais, públicos e privados. Nos territórios da cidade e nos meios de comunicação, a imaginação é disputada. A publicidade, a música independente, o circuito de arte contemporânea, a ação dispersa nas redes virtuais, simultaneamente, produzem e fazem circular imagens que nos colocam diante de diferentes futuros. Em que condições se disputa a imaginação?


Esse vídeo é parte do projeto Descrito como Real, proposição de Vitor Cesar e Enrico Rocha. A edição reproduz pequenos trechos de vídeos já existentes, listados abaixo, produzidos por órgãos públicos e que divulgam grandes projetos de intervenção na estrutura urbana da cidade de Fortaleza (CE). Os vídeos originais são um convite a imaginar o futuro da cidade, mas suas imagens também nos convocam a um debate urgente e necessário: quem imagina a cidade? O assunto se desdobra em muitas questões, algumas polêmicas. A conversa é aberta e se propõe como reflexão crítica.


Música Ficção Científica, álbum Fortaleza, banda Cidadão Instigado.


Descrito como real


Proposição de Vitor Cesar e Enrico Rocha participante da III Mostra do Programa de Exposições 2015 - Centro Cultural São Paulo.


Mobiliário com Carol Tonetti, executado por Leo Ceolin
Vídeo com Fernando Stutz e Renan Costa Lima
Música Ficção Científica, da banda Cidadão Instigado
Participação de Fernando Catatau, na abertura
Produção com Fernanda Porto
Texto com Ligia Nobre
Comunicação com Livia Salomoni


Agradecimentos
Marcio Harum, Claudia Afonso, Rodrigo Vieira, Isadora Stevani